NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Nós, da Associação Ouropretana de Proteção Animal – AOPA, gostaríamos de informar sobre as atividades que envolvem a instituição e os animais de pequeno porte tutelados pela Prefeitura Municipal de Ouro Preto – PMOP, foco do nosso trabalho, destacando nosso papel fiscalizador dentro de nosso município.

Trabalhamos em prol do coletivo animal, desde nossa criação em 2013, quando a AOPA, ainda era a única organização ouro-pretana, começamos os trabalhos no Canil em prol de maior bem-estar animal junto aos nossos profissionais e todo o voluntariado, depois que conseguimos cessar as eutanásias feitas em animais saudáveis como medida de controle populacional, na época. Tivemos o apoio institucional apenas do Fórum Animal, o qual somos filiados, para melhorar as condições e manejo dos animais que eram recolhidos em vias públicas.

Infelizmente, depois de 35 eventos e mais de 110 animais doados responsavelmente, 90% deles adultos devidamente vacinados e esterilizados com recursos da própria ONG AOPA, tivemos que protocolar a primeira denúncia no Ministério Público em julho de 2017, em busca de cumprimento de leis em todo o município e melhores condições de vida aos animais do CCZ/Canil de Ouro Preto. Inclusive, outra instituição, da região, também protocolou meses depois, denúncias como nós fizemos.

Todos os animais que eram e são levados aos eventos de adoção da AOPA participam de um processo responsável, ou seja, que inclui autorização de deslocamento dos animais dentro do município para o local do evento, banho “pré-feira” nos animais do canil, escolhidos para os eventos pelos nossos voluntários (sempre às sextas-feiras anteriores ao evento), sanidade animal comprovada por um RT, médico veterinário devidamente cadastrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária e castração gratuita aos animais de todas as faixas etárias a serem doados, no mínimo. Atualmente, passamos a aceitar somente cães microchipados e com mais de 4 meses, devidamente imunizado (para que o esquema vacinal seja monitorado e feito completamente, e não parcial, como antes).

Fizemos os mutirões “Banhos e Carinhos” (inspirados no trabalho de nossa ONG amiga, Vidanimal ONG de Itabirito com seu “Banhos e Mimos”) no canil. Este projeto tem como propósito estabelecer relações positivas entre a população ouro-pretana e os animais do canil que vivem em sistemas de confinamento, proporcionando bem-estar a ambos. A higienização dos animais deve fazer parte de protocolos dentro do canil, realizado pelos funcionários que lá trabalham, mas não são suficientes para sociabilização dos animais e sensibilização da população ouro-pretana.

É para isso que lutamos. Para que os animais tenham condições mínimas de sobrevivência com o mínimo de manejo adequado dentro e fora de um canil.

Queremos deixar claro, que os últimos eventos de adoção da PMOP, principalmente em outro município, não tiveram o apoio da AOPA, por questões éticas e epidemiológicas. Mesmo que, aparentemente, a PMOP tenha se inspirado em nossas sugestões técnicas, quanto a escolha da empresa de microchipagem, e em nosso material usado no processo de adoção de nossos eventos (apresentamos um modelo do nosso material usado por nós à PMOP, como demonstração de boa fé e parceria, ainda no começo de 2017, quando fazíamos as feiras com os animais do canil).

Muitas pessoas ainda nos questionam por que não auxiliamos o canil de nossa cidade, diretamente, como fazíamos.

Infelizmente, nosso trabalho foi sobreposto por outra instituição e não podemos realizar atividades com a mesma autonomia que tínhamos antes, o que para nossos profissionais não é uma opção, pois respondemos por todo o nosso voluntariado, tecnicamente, também.

Os nomes dos cães foram trocados e mesmo indicando e mostrando como eram chamados, não vimos nenhum interesse expresso na nova gestão no CCZ – Centro de Controle de Zoonoses, que agora se intitula UVZ – Unidade de Vigilância de Zoonoses e Bem-Estar e na Secretaria de Saúde, em aprofundamento do nosso trabalho e nosso histórico.

Já existe um número de telefone de contato da PMOP para quem precisa de atendimento veterinário gratuito e recolhimento de animais em vias públicas, que foi nos concedido há pouco tempo para divulgação (031 9 8400 – 3505). Ainda não sabemos dos critérios, nem quais são os veterinários responsáveis por esse atendimento. Por isso, aconselhamos que liguem para sanar quaisquer dúvidas imediatas acerca desse serviço.

Mesmo que não auxiliemos diretamente o canil, não somos isentos de fiscalizar todo o trabalho que diz respeito ao coletivo animal de Ouro Preto. Como órgão fiscalizador, continuamos acompanhando os trabalhos feitos no canil da PMOP e em nossa cidade, foco de todo o nosso trabalho desde 2013.

O Termo de Ajuste de Conduta padrão foi assinado pela PMOP. A luta da AOPA é profunda e busca resultados concretos e mais duradouros. Nossos projetos são de longo e médio prazo. Só assim teremos números significativos em relação ao controle populacional e guarda responsável.

Esperamos que muitas Bias e Lipes tenham sua dignidade restaurada e muitos outros nem passem por atrocidades acometidas pela sociedade que tem que ser educada e punida por tanto maus tratos à vida animal. Que possamos viver harmoniosamente entre humanos e animais com os direitos e deveres cumpridos.

Agradecimento especial à população local e aos voluntários que são base de todo o nosso trabalho.

About the author: AOPA - Associação Ouropretana de Proteção Animal

Organização Não Governamental (ONG), sem fins lucrativos. Nós da Associação Ouropretana de Proteção Animal (AOPA) realizamos um trabalho de sensibilização junto à população e às autoridades no sentido de assegurar o bem estar-animal, promovendo a adoção responsável, castração como meio de prevenção contra a superpopulação de animais domésticos evitando posterior abandono. Além de lutar por mudanças nas leis para punir quem maltrata, acumula ou os desampara à própria sorte. A nossa missão é atacar a causa de tantos maus-tratos animais. Incentivando somente o exercício da guarda responsável, doações responsáveis, encaminhando denúncias de maus-tratos, esterilizando os animais de rua e domésticos para que a longo prazo o problema seja amenizado, pelo menos. Muito está sendo feito, mas é um trabalho lento, carente de recursos e muito incompreendido. ONG afiliada ao Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal (FNPDA) desde julho de 2015. Registrada no CNPJ sob o número 23.099.642/0001-95.

Leave a Reply

Your email address will not be published.