Somos negligenciados

Nós da AOPA há quatro anos temos nos empenhado na cidade de Ouro Preto para que a proteção aos animais realmente se torne realidade em nosso município. Nesses quatro anos buscamos parcerias com veterinários e o comércio local para conseguirmos atingir cada vez maior número de animais, concedendo castrações, vacinação, atendimento médico.
Há quatro anos também estamos lutando pelos animais do CCZ: estivemos presentes e atuantes desde a mudança da Lei que hoje não mais permite a eutanásia de animais saudáveis. Promovemos banhos e feiras, periodicamente, fizemos incontáveis visitações ao canil. Também temos tentado estabelecer um diálogo ético e responsável com cuidadores e cuidadoras do canil, para que possamos, juntos, promover a melhoria de vida desses animais enquanto estes permanecem sob tutela do poder público.
Há quatro anos investimos do próprio bolso cada plaquinha, cartaz de divulgação, coleira, roupinha, corda usados nas feiras. Investimos de nosso próprio bolso cada ingrediente de cupcake, doce, ímã de geladeira, feitos à mão, com muito carinho, para angariar fundos para custear nossas ações.
Há quatro anos investimos do nosso bolso cada passagem de ônibus, cada combustível posto no carro para levar animais da comunidade para castrar, para socorrer animais em perigo, ou mesmo levar um recém-adotado para seu novo lar.
Há quatro anos investimos na capacitação de nossa equipe, para que cada vez mais tenhamos um trabalho profissional, com conhecimento técnico e responsável.
Há quatro anos, porém, nossas ações têm sido constantemente negligenciadas. Somos negligenciados pela Prefeitura que se omite em relação às dezenas de ofícios que temos encaminhado, apontando os problemas no CCZ e apresentando propostas para melhorias do canil. Fizemos nova tentativa na terceira semana deste mês, e até então, dia 28/08/2017 não tivemos nenhum retorno.
Somos negligenciados pela atual gestão da Prefeitura que, mesmo tendo firmado compromisso com a causa animal ainda em campanha, tantas vezes se omite quando a ela recorremos.
Somos negligenciados pela Prefeitura quando esta se nega a readequar o CCZ às novas condições do município: agora, sem eutanásia, precisamos de ações concretas de esterilização e apoio às feiras para diminuição do grande número de animais no canil.
Somos negligenciados ao nos ser negado o acesso a exames médicos dos animais, bem como a outras informações relevantes sobre a condição da saúde dos animais tutelados. Já há alguns meses nossas feiras foram suspensas, pois não somos informados sobre a real situação dos animais: dessa forma, não podemos nos responsabilizar pelas consequências em doar um animal doente. Não haver transparência com a ONG significa o poder público se negando à transparência frente à sociedade civil. Isso é grave!
Somos negligenciados ao não ser reconhecido que nossas adoções dos animais do CCZ foram efetivas, isto é, além de prestar apoio e acompanhamento na inserção de cada animal em sua nova casa, estes foram castrados e acompanhados por cada um de nós, sem nenhum apoio estrutural ou financeiro de outros que não de nossos próprios integrantes.
Somos negligenciados quando não temos transporte para o deslocamento dos animais e às tendas para protegê-los do sol, nos eventos de adoção.
Somos negligenciados quando não se mencionam as 35 feiras já realizadas por nossa equipe, ou das dezenas de animais já reintegrados na comunidade.
Somos negligenciados quando após meses algum adotante resolve devolver um animal que “chora”, ou “evacua no lugar errado”. Acredite: são muitos casos… e não temos nenhum apoio. Nem da comunidade, nem da Prefeitura, sequer de outras organizações e grupos civis.
Somos negligenciados também por outros que dizem “lutar pela causa”, quando, antes de se inteirarem do que temos feito, nos apoiar nessa caminhada difícil, fazem denúncias graves esperando de nós uma solução, como se nada fizéssemos.
É necessário lembrar que nosso trabalho é feito de forma voluntária: muitas vezes, ao contrário de significar “trabalhamos de graça pela causa”, significa dizer “investimos nosso tempo e dinheiro para promover melhorias” e, ainda assim, sermos silenciados, ignorados, desrespeitados.
Perguntem, se informem. Nossa ONG é uma sociedade Civil, de pessoas que residem na cidade e que vivem a realidade do Município dia a dia. Lutamos por cada caso, buscamos conscientizar as pessoas, orientá-las sobre a guarda responsável. Não recolhemos animais nas ruas, à revelia. Dedicamos horas por dia, em pequenas ações, esperando que possamos ter resultados mais otimistas em algum tempo. Esperamos com o tempo, também, sermos mais respeitados em nosso trabalho: afinal somos uma rede de biólogos, cuidadores, veterinários, professores dedicados à causa. Nossa equipe, apesar dos percalços, permanece na luta: mesmo com eventuais mudanças de gestão da Prefeitura, ou mesmo no caso de nova licitação para o CCZ, permaneceremos fazendo nosso trabalho: apoiando ações de proteção animal responsáveis, fiscalizando, reivindicando direitos, educando a população, e promovendo ações para o bem estar animal e da nossa comunidade.