Lar Temporário em Repúblicas Estudantis

Quando resgatamos um animalzinho, sabemos que vamos precisar vacinar, castrar, tratar eventuais problemas de saúde e o principal: arrumar um lugar para que ele more em segurança até que possa ser adotado. O tempo de espera por uma família varia muito e pode ir de uma semana a meses ou anos, dependendo do estado de saúde e do temperamento do bichinho. Em alguns casos, eles acabam não sendo adotados por conta da cor da pelagem. Parece absurdo, mas existem cães e gatinhos bonzinhos e fofinhos que não encontraram uma família só porque são pretinhos, por exemplo.
 
Os abrigos de animais normalmente estão superlotados, o que reduz a qualidade de vida deles, assim como a possibilidade de adoção. Desta forma, a criação dos lares temporários auxilia os abrigos, uma vez que podem proporcionar uma vida mais digna assim como maiores chances de adoção ao animal. O lar temporário também é uma solução para o caso de animais resgatados que ainda não foram abrigados em algum local específico.
 
Lar temporário é um espaço na sua casa que você cede para abrigar uma família de animais, uma ninhada ou animal adulto, até que se consiga um lar definitivo. Esses lares são de extrema importância social, pois evitam que o número de animais abandonados cresça dramaticamente, aumentando a efetividade do trabalho de proteção animal.
 
É de responsabilidade da pessoa que disponibiliza o lar temporário cuidar da saúde do animal e fazer sua ressocialização, pois muitos são traumatizados pelos maus tratos que sofreram. Muito amor, paciência, alimentos saudáveis, água, vermífugos, medicamentos contra pulgas e carrapatos e vacinas são essenciais para a recuperação do animal. A visita ao médico veterinário também é de extrema importância para evitar ou tratar eventuais problemas de saúde. Tudo com o apoio da ONG com medicamentos, rações, camas, exames, cirurgias e outros, provenientes de doações.
 
O tempo que o animal ficará nesses lares varia muito. Alguns não têm tanta sorte e ficam por mais tempo. Filhotes, geralmente, logo ganham lares, porém, os adultos, demoram mais tempo. Recomendamos que os animais somente sejam doados após estar castrados para evitar sua reprodução, e assim reduzir a possibilidade de abandono e população de rua.
 
Ajude o trabalho da proteção animal: se você dispõe de espaço, carinho e cuidados, disponibilize-se para ser um lar temporário dos animais resgatados ou abandonados.
 
Ouro Preto tem uma grande quantidade de repúblicas estudantis, particulares e federais com alunos vindos do Brasil inteiro, que ficam longe de suas famílias, incluindo amigos pets.
 
Nós, da AOPA – Associação Ouropretana de Proteção Animal, decidimos transformar repúblicas em lares temporários. E deu certo! Os animais carentes de atenção e carinho dão uma nova energia a república, que passa por momentos que a saudade de casa aperta o coração ou pelo estresse do fim do período tem um novo melhor amigo, mesmo que temporário.
 
A república Sintonia acolheu o Rex por um fim de semana maravilhoso em Ouro Preto:
“Galera, essa coisinha linda aí no video é o Rex, tivemos a oportunidade de ser seu lar temporário durante um final de semana e foi uma experiência ótima! Ele alegrou a casa e arrancou sorrisos das moradoras durante todo o tempo que esteve aqui. Mas, infelizmente, não podemos ficar com ele. O Rex ainda está a procura de um lar e vamos falar um pouco do porque você pode adotá- lo:
Ele é extremamente dócil, educado, não entra dentro de casa sem autorização, respeita os móveis/objetos da casa, ama crianças e é uma excelente companhia para assistir netflix: ele fica deitadinho prestando atenção na TV hahahah *–*

Quer cadastrar sua república como lar temporário? Quer se cadastrar como lar temporário em sua casa? Entre em contato conosco.

contatoaopa@gmail.com

Abra sua república/casa e seu coração para um animal abandonado e salve uma vida.

texto adptado: www.petlove.com.br e pleno.news

Eventos de Adoção com Animais Remanescentes de Pesquisa Científica

Em agosto, nós da AOPA, retomamos nossos eventos de adoção de animais, que dessa vez não foram com os cães do CCZ de Ouro Preto, pela negligência da Prefeitura, em especial da secretaria de saúde, com nosso trabalho voluntário. Não podemos assumir essa adoção se somos negligenciados pela Prefeitura quando esta se nega a readequar o CCZ às novas condições do município: agora, sem eutanásia, precisamos de ações concretas de esterilização e apoio às feiras para diminuição do grande número de animais no canil. Somos negligenciados ao nos ser negado o acesso a exames médicos dos animais, bem como a outras informações relevantes sobre a condição da saúde dos animais tutelados. Já há alguns meses nossas feiras foram suspensas, pois não somos informados sobre a real situação dos animais: dessa forma, não podemos nos responsabilizar pelas consequências em doar um animal doente. Não haver transparência com a ONG significa o poder público se negando à transparência frente à sociedade civil. Isso é grave! (Para saber mais, clique aqui.)

Os 37º e 38º Eventos de Adoção Animal de Ouro Preto da AOPA são os primeiros oficializados com animais remanescentes de pesquisa científica de nossa história. Eles merecem um lar feliz, como qualquer outro cão. Esses cãezinhos jovens adultos já são castrados, desverminados, vacinados com todas as doses em dia, passaram por tartarectomia e estão esperando pessoas especiais que os mostrem como é bom ser um cão de família. Adote seu novo melhor amigo. Dê uma oportunidade de ser amado sem querer nada em troca, a não ser sua amizade, que será a coisa mais importante na vida deles, daqui pra frente. Agradecimentos especiais a todos que ajudaram pra que isso acontecesse e aos que sempre apoiam o trabalho de muita responsabilidade, ética e amor desenvolvidos pela AOPA. E parabéns aos que abriram seus corações e adotaram.

 

O primeiro cão comunitário da AOPA em nossa cidade

21762108_769741079894941_5425178893076614851_n

Setembro de 2017: O primeiro cão comunitário da cidade é reconhecido e fiscalizado pela AOPA – a Beterraba.

CÃO COMUNITÁRIO

Mas qual a diferença entre o cão comunitário e o cão de rua?

# Cão Comunitário

“Entende-se por cão ou gato comunitário aquele que, apesar de não ter responsável definido e único, estabelece com a comunidade onde vive vínculos de dependência e manutenção.” – Lei 21970 de 15/02/2016 do Estado de Minas Gerais

O cão comunitário é adotado por grupos específicos de pessoas, que têm a responsabilidade de cuidar dele, sem necessariamente levá-lo para casa.

Essas pessoas precisam oferecer todas as condições para que os animais tenham uma vida saudável, exercendo a guarda responsável deste animal, sendo que os animais são castrados, vacinados, possuem exames em dia e além de identificados com coleiras são microchipados.

# Cão Abandonado

Os cães de rua, geralmente abandonados, vivem à mercê de restos de comida e abrigos que conseguem encontrar para sobreviverem. Isso põe em riscos sua saúde, segurança, e os tornam muitas vezes arredios por acabarem por sofrer maus tratos nas ruas e lugares por onde circulam.

Assim como qualquer outro animal, eles se reproduzem, e aí vêm o maior problema, a superpopulação, que é causada pela falta de alguém para controlar esta população, por exemplo com uma campanha de castração em massa.

Por isso a importância de programas de controle populacional, políticas efetivas de saúde pública e apoio dos órgãos competentes para que esses animais sejam recolhidos e tratados de forma digna podendo ser reencaminhados para lares definitivos por meio de feiras de adoção entre outras alternativas.

Devido a isso….

No último ano elaboramos conjuntamente com estudos sobre o tema e sua aplicabilidade na cidade, com ajuda de voluntários engajados e orientações da Médica Veterinária Juliana Tozzi , Mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), que com sua pesquisa inspirou a base deste projeto.

O projeto de cães comunitários atualmente se encontra em fase de implementação na cidade de Ouro Preto/MG.

O nosso primeiro cão comunitário, ou a primeira, se chama Beterraba e teve seu início de vida na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), migrando após algum tempo para o circuito entre a Praça Tiradentes e a Rodoviária de Ouro Preto (Terminal Rodoviário 8 de Julho) onde hoje, com a devida autorização, se instalou a casinha de nossa Nº001 comunitária.

Anteriormente em Ouro Preto tínhamos a Branquinha, que era reconhecida por todos e adorada na cidade, ela era um cão comunitário e serve de inspiração a todos nós.

Contamos com a ajuda e apoio de todos vocês nesse projeto, já que não há lares suficientes para todos, pois esta é uma das alternativas viáveis, éticas e respeitosa, tratando de forma humana e digna os animais que aqui estão.

Estamos à disposição para qualquer contato e dúvidas acerca do projeto do cão comunitário.

Atenciosamente,
Equipe AOPA.

Fazendo Mais Pelos Nossos Animais: Dia C

O mundo não precisa de pessoas fazendo muito, mas sim de mais pessoas fazendo algo.

É com enorme satisfação que este ano participaremos do DIA C da Cooperouro em Ouro Preto, e é a vez dos nossos amigos serem ajudados também.

Vamos fazer mais pelos animais?

“A Cooperouro, em parceira com a AOPA – Associação Ouropretana de Proteção Animal, realiza o Dia de Cooperar 2017. A iniciativa envolve programas e materiais educativos, arrecadação de produtos e uma feira de adoção. Saiba mais em http://www.cooperouro.coop.br/dia-c”

E aí,Prefeitura?

NOTA OFICIAL:

A ONG Associação Ouropretana de Proteção Animal (AOPA) sempre tem acompanhado de perto, como sempre, a situação do Centro de Controle de Zoonoses de Ouro Preto (CCZ), e devido à condição insustentável e inadequada em que muitos cães têm sido mantidos, suspendeu provisoriamente as atividades de parceria com a Prefeitura Municipal.

Como entendemos a gravidade da suspensão dessas atividades, (o que significa menos feiras, menos adoções…), pedimos um prazo de 30 dias corridos para voltarmos o local e realizarmos nova visita, e viabilizar a retomada de nossas atividades.

Passado o prazo, realizamos a vistoria, mas não foi possível verificar nenhuma diferença consistente.

Assim, redigimos e apresentamos um Ofício à Câmara Municipal e à Secretaria de Saúde de nosso município, no qual não só abordamos a situação delicada em que estão alocados os cães, bem como apontamos sugestões para melhor manejo e moradia, além de transparência da Secretaria de Saúde em relação às atividades voltadas para todos os animais domésticos.

Vamos continuar fiscalizando com responsabilidade técnica o CCZ Ouro Preto, e é de nosso interesse reafirmar a Prefeitura de Ouro Preto.

A melhora do CCZ favorece toda a comunidade, e é o caminho que buscamos para dar continuidade a nossas atividades, de forma cada vez mais profissional, responsável e ética.


E aí, Prefeitura?


Aguardamos resposta.

4 Anos da Associação Ouropretana de Proteção Animal

Hoje, dia 18/05/2017 a ONG Associação Ouropretana de Proteção Animal (AOPA) completa seus 4 anos de fundação.
Foram mais de 200 animais resgatados que ganham uma nova chance de sobrevivência, nesse mundo cheio de ódio e rancor.
MENSAGEM DE AGRADECIMENTO AOS NOSSOS VOLUNTÁRIOS
Tornar-se voluntário significa atender à uma vontade que se transforma em um ideal. Ser voluntário, voluntária é consequência da tomada de consciência de que podemos tornar o mundo um lugar melhor para se viver.
A cada ano cresce o número de voluntários e voluntárias que contribuem com o trabalho social da AOPA que possibilitam que sejam beneficiadas mais e mais com animais, estes que muitas vezes já perderam a esperança… E juntos, percebemos que somos bem mais fortes, que podemos ajudar!
A Diretoria da AOPA vem, através desta singela mensagem, expressar nossa gratidão à todos que de alguma forma colaboram e tornam possível a realização de nossos sonhos, a realização dos eventos principalmente, mas também das atividades executadas dentro da Organização. Sem vocês, nossos trabalhos jamais seriam concretizados! À vocês, voluntários e voluntárias, por perceberem o que ocorre à nossa volta e importarem-se de fato… por buscarem promover uma transformação efetiva através de atitudes e não apenas de discursos… por preocuparem-se com aqueles que só conheceram a dor e o sofrimento… por proporcionarem um momento de atenção e carinho, sempre negado… por estenderem a mão, em sinal de solidariedade, aos animais que necessitam… À vocês, deixamos a nossa homenagem, a nossa eterna gratidão e nosso eterno muito obrigado!!!
Que venham mais anos de luz e solidariedade.

Cães Comunitários

Branquinha - a cadela comunitária mais famosa de Ouro Preto. Foto: Tino Ansaloni

Branquinha – a cadela comunitária mais famosa de Ouro Preto.
Foto: Tino Ansaloni

Você sabe o que um cão comunitário? É aquele cachorro que, apesar de não ter proprietário definido e único,é adotado por grupos específicos de pessoas, que têm a responsabilidade de cuidar de um ou mais animais, sem necessariamente levá-los para casa. Essas pessoas precisam oferecer todas as condições para que os animais tenham uma vida saudável, sendo que os animais são castrados, vacinados e microchipados. Ou seja, o animal estabelece com a população do local onde vive vínculos de dependência e manutenção.

Muita gente não sabe, mas São Paulo, Curitiba, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro possuem leis que protegem cães comunitários. Em geral, o cão de rua, uma vez cadastrado no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da cidade, tem direito a castração, vacinação e microchipagem gratuitas, sem mencionar o direito de viver na rua desde que um dos tutores assine um termo de responsabilidade.

No CCZ de SP há 21 cães comunitários cadastrados, e a prefeitura vê benefícios para a comunidade porque considera esses animais uma barreira sanitária: por serem vacinados, não existe risco de transmissão de doenças, de brigas por fêmeas no cio, se castrados, e, por serem territorialistas, sua presença evita que outros bichos invadam ou sejam abandonados naquele endereço. Além disso, é comum o animal comunitário ser adotado por um dos tutores. Aliás, é isso que tem ocorrido em Curitiba, onde dez dos 50 animais inseridos no projeto Cães Comunitários – implantado em 22 terminais de ônibus – foram adotados.

Segundo Alexander Biondo, diretor da Rede de Proteção Animal de Curitiba, em outros lugares do mundo esses animais são vistos como parte do cotidiano urbano: “Queremos trazer essa cultura para o Paraná. Os cães ganham mais respeito e zelo. Depois de castrados, vacinados, microchipados e cuidados, acabam conquistando a simpatia dos usuários dos coletivos, no caso do projeto citado, que os tiram das ruas.” Em Araucária-PR, dos 161 cães cadastrados como comunitários em três anos pelo CCZ, 25% conseguiram um lar.

Fontes: icam coalition
6 patas
revista meu pet

Doe Vacinas para a ONG AOPA

Ajude-nos a ajudar mais o animais de Ouro Preto.

A partir do 01/12/2016 você poderá comprar vales-vacinas (espécie-específica/V8) na Pet Shop BICHO DE OURO para os cães e gatos (carentes, disponibilizados à adoção responsável) que a ONG AOPA ajuda à preços especiais.

Depois da compra, o vale-vacina deverá ser entregue em nossas Feiras de Adoção de Animais de Ouro Preto – AOPA, que acontecem quinzenalmente (2º e 4º sábado) na Praça da Estação Ferroviária de Ouro Preto de 09:00 às 14:00 para que a doação se efetive com sucesso.

Lute conosco pelo compromisso responsável.

doe vacinas bo
Mais informações pelos telefones: (31)9 – 8860-2469 (AOPA) ou 3551-5867 (Bicho de Ouro)